OPINIÃO DO CENTRO

Elo forte entre ciência e campo

Resultados de pesquisas sobre métodos de diagnóstico e caracterização de produtos e processos têm sido aplicados ao dia-a-dia da citricultura. Isso denota os valores da nossa organização, englobados pelo caráter, competência e comprometimento da sua equipe. Assim, nossos laboratórios têm sido um elo forte entre ciência e campo.
Fato que os diagnósticos de fitopatógenos requeridos para a produção de mudas e para exportação de frutos têm garantido o sucesso da citricultura. Como exemplo, consideremos que anualmente são produzidas cerca de 10 milhões de mudas de citros em São Paulo, por cerca de 350 viveiristas, cujo valor direto da comercialização é de R$ 80-100 milhões/ano. Obviamente esses números tomam maior dimensão quando consideramos investimentos para o plantio dos pomares e manejo nos primeiros anos no campo, com práticas de defesa e promoção do crescimento das plantas. Mais à frente, com a produção de frutos gerada por cada muda colocada no chão, esses valores se multiplicam ainda mais. Também, dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex, Ministério da Economia) demonstram o valor das exportações brasileiras de laranjas, como fruta fresca, que em 2019 somaram US$ 1,2 milhão FOB. Valor este até modesto frente à média para o período 2013-2018, de US$ 9,5 milhões FOB. Atribui-se a isso algum impacto da barreira para entrada de frutas frescas na Europa contaminadas pela pinta preta?
Falando de qualidade da fruta, a rotina de análises da qualidade interna e externa e frutos para consumo in natura ou suco tem apoiado os programas de pesquisa do Centro de Citricultura sobre melhoramento de variedades e manejo, e paralelamente o citricultor e o varejista no escolha da melhor fruta dos seus pomares para o consumidor. Aí, chamamos a atenção para o valor de uma nova variedade e o impacto que, por exemplo, a adubação pode causar no tamanho e no teor de açúcares dos frutos.Ganhos de qualidade de 10-20% na cadeia de produção são atingíveis quando ciência e campo andam juntos.
Em suma, o Centro de Citricultura tem avançado sobre a visão simples de cadeia de produção para aquela mais complexa, dinâmica e conectada em redes de valores, a qual tem por base a troca de conhecimento que leva à produção proativa de bens e serviços da cadeia. Estamos estabelecendo redes institucionais, que reúnem vários atores sob mecanismos de gestão ágeis e eficientes, capazes de proporcionar condições para que os resultados de pesquisa sejam traduzidos em inovações valiosas para o desenvolvimento da citricultura.

Comentários