OPINIÃO DO CENTRO

Eficiência, entender para buscar

Temos constantemente envidado esforços para prover o aumento da eficiência da produção agrícola, isto é, alcançar retornos crescentes em relação aos investimentos no campo. Contudo, o termo eficiência pode aparecer nesse contexto de forma bastante ampla, em função dos objetivos de nossos estudos. Por isso verifica-se a necessidade do entendimento de vários componentes do sistema solo-planta-atmosfera, que somados, explicam o desempenho das plantas que tanto nos interessa. Assim, buscamos plantas que podem absorver melhor os nutrientes supridos pelas adubações. Também, aquelas que podem produzir mais biomassa por unidade de nutriente absorvido. Da mesma forma, aquelas que podem redistribuir os nutrientes imobilizados na biomassa para partes novas em crescimento, importantes para formação de grãos, frutos ou tubérculos, por exemplo. Ademais à eficiência de uso de nutrientes, podemos falar analogamente sobre a eficiência do uso da água pelas plantações. Outro exemplo, recentemente, pesquisadores da Universidade de Illinois e do Serviço de Pesquisa Agrícola do Departamento de Agricultura dos EUA estudaram o processo de fotorrespiração, que concorre com a formação da produção agrícola. Assim, desenharam plantas que podem redirecionar o processo fotorespiratório através de compartimentos celulares, reduzindo drasticamente perdas de energia e otimizando recursos suficientes para impulsionar o crescimento das plantas em 40%. Este estudo faz parte um projeto internacional para o entendimento da eficiência fotossintética aumentada (Realizing Increased Photosynthetic Efficiency, RIPE), que busca culturas mais adequadas para aumentar de forma sustentável a produtividade mundial de alimentos. Enfim, toda essa estória de eficiência nos diz que primeiro temos que entender o contexto, conhecer os mecanismos, enxergar os processos e contar com colaborações para então podermos estar focados num projeto “eficiência”, com chances de sucesso.

Comentários