OPINIÃO DO CENTRO

“Copo meio cheio… meio vazio?”

O Editorial do Informativo Centro de Citricultura traz uma opinião da instituição, embora algumas vezes deixe a brecha para aquela pessoal. Por que? Normalmente serve como um canal de comunicação com a citricultura ou a ciência e tecnologia, porém nesta edição (junho 2019), serve como um canal interno. E qual a motivação nesse momento para esse canal? Notícias recentes do ambiente externo ao Centro de Citricultura demonstraram que instituições têm buscado meios para se manterem competitivas num cenário de trabalho globalizado e com intensas mudanças. Isto provavelmente mexeu com nossa “zona de conforto”, disparando comentários sobre nossas forças e fraquezas. Tratar de forças é fácil, mas de fraquezas…, o contrário, o que faz emergir perguntas e críticas, como: Por que provocar esse assunto? Faz sentido na nossa instituição? Será expor demais nosso trabalho? Algumas respostas a essas questões estão associadas ao fato, provavelmente, que já vivemos como uma organização inserida no contexto das normas do sistema de gestão da qualidade (ISO), o qual nos pede identificar oportunidades de melhoria, ou mais recentemente e num jargão técnico, identificar riscos e oportunidades. Se não nesse sistema, respostas também são associadas face a uma ferramenta utilizada mais especificamente para a análise de cenário (ou análise de ambiente) para gestão e planejamento estratégico, chamada SWOT (do acrônimo em Inglês: Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças). Simples afirmativas até aqui, porém complexas na realização do crescimento institucional e das pessoas que formam o Centro de Citricultura, que requer entendimento amplo para anteciparmos ações para empreender e estar à frente no setor. Mas quais caminhos a percorrer numa instituição pública e dentro da sua inércia organizacional? Certamente, aqueles mais próximos ao setor, atendendo e direcionando suas demandas. E como gerenciar esse desafio dentro do Centro de Citricultura? Outra opinião…, acreditar no grupo de trabalho que acredita no trabalho em grupo! Certo da sua disposição e afinidade para novos desafios. Igualmente, acreditando na visão da citricultura e suas outras instituições sobre o que já entregamos e vamos entregar. Enfim, um sentimento que o “copo está meio cheio”.

Comentários