OPINIÃO DO CENTRO

Oferta tecnológica… novo esforço do Centro de Citricultura

O recente lançamento do extrato de oferta tecnológica da cultivar IAC 2019Maria representa o mais novo esforço do Centro de Citricultura para atender a demanda de novas variedades de copas da citricultura. Também, representa outro esforço, conquistado junto ao setor, em cuja oportunidade nossos pesquisadores do grupo de melhoramento genético, cientes da necessidade de um passo adiante, após a obtenção do certificado de proteção da cultivar junto ao Serviço Nacional de Proteção de Cultivares – SNPC/MAPA, conduziram recentemente discussões sobre esse novo cenário da distribuição de cultivares protegidas na citricultura brasileira. Embora consolidado em outros países como Austrália, Espanha, Estados Unidos e Uruguai, por exemplo, ainda não contávamos com uma organização de processos requerida pelos interessados na nossa citricultura. Assim, foram a partir daqueles vários encontros com viveiristas e produtores, além de colegas de trabalho em instituições de pesquisa e universidades no Brasil e no exterior para que chegássemos a este primeiro modelo que colocará a IAC 2019Maria no campo e então nas prateleiras dos nossos consumidores. Não faltaram ainda discussões com técnicos especializados na legislação de inovação tecnológica e gestores de fundações de pesquisa para assegurarmos esta oferta, na qual vemos com enorme satisfação a capacidade de realização do Centro de Citricultura e o cumprimento da sua missão institucional para com a cadeia de produção. Resultado de cruzamento realizado em 1997 e depois de cerca de dez anos de seleção, a IAC 2019Maria caracteriza-se por apresentar árvores de porte médio, com boa produção de frutos saborosos, de maturação precoce, cuja colheita ocorre entre abril e junho. Esses frutos apresentam formato achatado, semelhantes ao tangor Murcott, coloração laranja intensa da casca e da polpa. Destaca-se por ser uma variedade resistente à mancha marrom de alternaria, o que lhe confere uma vantagem competitiva no mercado de frutas frescas, dada a alta susceptibilidade da Murcott, e consequentemente dos altos prejuízos causados aos citricultores pela ocorrência e dificuldade de controle no campo. O trabalho e conquista do Centro de Citricultura não param aí … junte-se a nós!

Mais informações do processo aqui

Comentários