PESQUISA DO CENTRO

Microbiologia do solo de pomar de Tahiti consorciado com braquiária

Técnicas de agricultura de conservação, como o cultivo consorciado, o menor revolvimento e a cobertura permanente do solo podem promover a qualidade do solo, incrementando a ciclagem de nutrientes e umidade, bem como sua atividade microbiana, estimulando o uso eficiente dos recursos do solo pelas plantas. Porém, no cultivo de citros essas práticas e o efeito na microbiologia do solo precisam ser mais estudados.
Nesse contexto, o Centro de Citricultura estuda o tema há dez anos, num experimento com lima ácida Tahiti enxertada sobre citrumelo Swingle, instalado em Mogi Mirim, SP, onde avaliam-se o consórcio de braquiárias decumbens e ruziziensis, como plantas de cobertura das entrelinhas do pomar, além do manejo diferenciado com roçadoras (ecológica e convencional) e aplicação ou não de herbicida sistêmico (glifosato) na linha de plantio.
Durante três safras, foram avaliados o carbono da biomassa microbiana (carbono presente no solo, advindo de microrganismos), a respiração microbiana basal (que representa a atividade dos microrganismos no solo), a diversidade da comunidade microbiana, a abundância de bactérias diazotróficas e as responsáveis pela fosfatase alcalina, além da produtividade da lima ácida Tahiti.
A utilização do manejo com braquiária ruziziensis e roçadora ecológica proporcionaram ganhos na abundância de microrganismos no solo em todas as avalições realizadas, elevando a produtividade da lima ácida Tahiti em 30% (acima de 40 t ha-1), quando comparado ao sistema convencional (braquiária decumbens + roçadora convencional). Em resumo, observou-se que a adoção da roçadora ecológica proporciona menor distúrbio às atividades microbiológicas do solo, em decorrência da deposição da biomassa na linha de plantio (mulching). Ressalta-se também que o uso do herbicida, nas doses corretas, não afetou a microbiota do solo.
Há correlação positiva entre os atributos microbiológicos e a produtividade da lima ácida Tahiti com o uso de braquiária ruziziensis, manejada com roçadora ecológica, sendo portanto práticas sustentáveis da agricultura de conservação para citros.

Ana Carolina Costa Arantes, doutoranda
Fernando Alves de Azevedo

Comentários